Câmara das Caldas da Rainha alvo de buscas da PJ devido a venda de terrenos

0
110
A Câmara das Caldas da Rainha foi alvo de buscas por parte da Polícia Judiciária

A Câmara das Caldas da Rainha foi quinta-feira alvo de buscas por parte da Polícia Judiciária (PJ), no âmbito de um processo relacionado com a venda de terrenos junto ao Centro Cultural e de Congressos (CCC).

As buscas na autarquia, no distrito de Leiria, decorreram durante a tarde, depois de os investigadores da Polícia Judiciária terem ouvido o anterior presidente da autarquia, Fernando Costa, “sobre um processo relativo à venda dos terrenos junto ao CCC”, confirmou o próprio.

Em causa está, segundo Fernando Costa, “uma queixa” do proprietário de uma empresa de construção que, em 2006, comprou em hasta pública os terrenos onde foi iniciada, mas nunca concluída, a edificação de um prédio.

As parcelas foram vendidas “por cerca de três milhões de euros e agora o comprador acusa a câmara de o ter enganado”, disse o anterior presidente do município, explicando estar em causa “as confrontações”.

“Ele [proprietário da empresa Erguigest] acusa-me de ter omitido que as parcelas que adquiriu confrontavam com privados e não com uma rua, como constava da escritura”, explicou Fernando Costa.

Porém, no esclarecimento prestado hoje à PJ, o ex-presidente disse que “os terrenos foram vendidos com plantas elaboradas pela câmara” e que alegadamente o construtor “sabia o que estava a comprar”.

Se “interpretou mal as plantas” ou se “tem razão na queixa que fez é o que terá que ser apurado” no âmbito da investigação, acrescentou Fernando Costa.

O ex-autarca demonstrou “disponibilidade para prestar todos os esclarecimentos” aos investigadores que hoje terão recolhido na câmara vários elementos ligados ao processo de venda dos terrenos e à aprovação do projeto de construção do prédio.

“Tanto quanto sei não estão em causa outras questões que não a venda do terreno”, acrescentou Fernando Costa, assegurando não lhe terem sido pedidos quaisquer esclarecimentos sobre “cheques, pagamentos ou a aplicação do dinheiro” que terá sido utilizado para “cobrir a comparticipação da câmara na construção do CCC”.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here