Municípios transmontanos avançam com plano de regadio no Planalto Mirandês

0
108

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Terras de Trás-os-Montes vai avançar com a elaboração de um plano estratégico para a criação de um sistema de regadio agrícola no território do Planalto Mirandês, anunciou hoje o presidente daquela estrutura.

“O Planalto Mirandês faz parte de um território de grande potencial agrícola e pecuário. A criação de um sistema de regadio poderá ser um contributo para o desenvolvimento económico dos concelhos de Miranda do Douro, Mogadouro e Vimioso”, disse o presidente da CIM transmontana, Artur Nunes.

Segundo o líder da Comunidade Intermunicipal, esta pretensão foi recentemente exposta ao ministro da Agricultura, numa reunião que juntou a tutela e vários autarcas do Nordeste Transmontano.

“Temos agora seis meses para elaborar o plano estratégico para definir o sistema de regadio para, depois, incluí-lo no programa comunitário 2030”, especificou o também autarca de Miranda do Douro.

A ideia dos nove representantes dos munícipes que integram da CIM transmontana passa por criar uma rede integrada de regadios que junte os territórios Terra Quente, Terra Fria e Planalto Mirandês.

“No território do Planalto Mirandês não existe qualquer sistema de regadio para a agricultura, pelo que é imperioso reflectir sobre esta matéria”, vincou.

O Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural aprovou a 03 de Setembro mais 14 projectos de reabilitação de regadios em Bragança, beneficiando 900 pequenos agricultores com um investimento público de quase dois milhões de euros.

O ministro Capoulas Santos afirmou, então, que este pacote “fazia parte de um projecto mais amplo de valorização dos territórios e da actividade agrícola, tornando-a mais produtiva e mais competitiva, nomeadamente, através do uso mais eficiente de água”.

Estes projectos, que abrangem os concelhos de Bragança, Mirandela e Vimioso, inserem-se no âmbito do Programa Nacional de regadios, que prevê um investimento global de 534 milhões de euros até 2022, na criação de mais de 49 mil hectares de regadio e na reabilitação de 41 mil hectares, que vão criar 10.500 postos de trabalho permanentes.

Em 20 de Agosto, o Ministério da Agricultura anunciou a atribuição de 6,35 milhões de euros a 59 projectos de regadio que abrangem uma área superior a 1.800 hectares e 32 concelhos do norte e centro.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here